domingo, 25 de novembro de 2012

Paulo César Pinheiro - Sublime paixão



Sublime paixão - Paulo César Pinheiro

Paixão ...
É o delírio de quem se entrega
É rebentação que carrega
É a raiz de onde brota a loucura
Paixão ...
É luz negra que ofusca e cega
É mar que se teme e se navega
É ânsia sublime de aventura
Paixão ...
É o abismo de quem se apega
É a bendita flor que o mal rega
É o reverso que tem toda jura
Paixão ...
É a surpresa que a gente não nega
É o destino de quem não sossega
É o mistério entre a espera e a procura
Paixão...
Estranha doutrina de fé que não se prega
Paixão...
Estranho prazer imortal que nunca dura
Paixão...
É um bem que entristece e que alegra
Momento em que o amor quebra a regra
No coração de toda criatura...

Nenhum comentário:

Postar um comentário